SONETO À AUSENTE – JOÃO GOMES DA SILVEIRA

SEMANA - 29/06/2015

Um êxtase incomum, talvez um rito,
o que passamos juntos, numa tarde.
E foi paixão... Amor que ainda arde
e se transporta às bordas do infinito.

Vogamos, sem destino, lado a lado,
pelas ruas iguais do bairro estranho;
e um cipoal de abraços foi tamanho,
que me perdi em ti, já deslumbrado.

Partiste, após... Senti, fiquei em ânsias,
e me esbarrei num paredão d’esperas,
na tentativa de estreitar distâncias.
Em ti pensando ainda, sempre e sempre,
constantes mais serão as primaveras,
razão porque tu’alma bem me adentre.

Poema “Soneto à Ausente” extraído do livro “Sonetos em Revoada” – pg. 68. Veja detalhes do livro abaixo.

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a João Gomes da Silveira - Reprodução Proibida

João Gomes da Silveira
Acesse a página do poeta:


LIVROS À VENDA


Livro: "Sonetos em Revoada"
Autora: João Gomes da Silveira
Páginas: 126
Editora: Travassos Publicações 
ISBN: 978-856-531-723-8
Preço: R$ 30,00 
Vendas direto com o autor, via email:
 jgs.xx@outlook.com
Sujeito à disponibilidade de estoque


SINOPSE:
"Se o lirismo medieval inspirou a Camões poemas madrigalescos, o «amor brotado com desejo» inspira a Gomes da Silveira uma desafiante liberdade poética a partir da qual expressa diretamente ao leitor seus sentimentos, estado de espírito e emoções. E nesse lirismo poético revelador da aventura do amor, notamos o quão perfeitas são suas criações: a métrica de seus sonetos é perfeita e perfeita a sonoridade das rimas, como é o caso deste soneto e de outros do autor. Neles há uma profusão de imagens exaltando a linguagem poética que vão tecendo - como um lindo bordado sobre uma mesa arrumada com requinte.




Livro: "Cem Sonetos Insubmissos"
Autor: João Gomes da Silveira
Páginas: 116
Editora Travassos Publicações
ISBN: 978-856531-719-1 
Preço: R$ 28,00 
Vendas direto com o autor, via email: 
jgs.xx@outlook.com
Sujeito à disponibilidade de estoque


SINOPSE:
"Obra poética cujo gênero de composição é o soneto. Como se sabe, soneto é o poema de forma fixa, composto de quatorze versos, distribuídos em duas quadras e dois tercetos. Este volume, contendo cem textos, divide-se em duas partes, a saber: I D’amor e II De Resistência. Na primeira, obviamente, fala-se de temas ligados ao amor – é o lado lírico do opúsculo; na segunda parte, embora abordando generalidades, o eu-poético do autor volta-se mais para o enfoque das suas preferências sociais e socializantes. Composições ao estilo tradicional, em sua quase totalidade, utilizando-se de rimas e de metrificação, em versos decassílabos (maioria). Exceções existem em um ou outro sonetilho e em alguns sonetos dodecassílabos."



Significado de algumas palavras:
Vogamos: navegamos; flutuamos; remamos; sobrenadamos. (verbo intransitivo)

Cipoal: Mato abundante de cipós. (substantivo masculino). Dificuldade; negócio intricado em que alguém se meteu e do qual não sabe livrar-se. (Figura)

ERA SAUDADE DE VOCÊ – MEIRE PARCE


Uma tristeza aflita
Visitou-me alta noite,
Ferindo minh’alma
Com violento açoite.

Sem compreender o porquê
Da inesperada visita,
Levantei-me apreensiva
À procura de uma pista.

Passos lentos, apressados,
Toda casa percorri.
Na madrugada, cansada...
Da procura desisti.

Já na cama, deitada,
Obrigou-me o pensamento
A percorrer o passado,
Passos calmos, passos lentos.

E, numa rua do passado,
Eu pude compreender
Que a tristeza que eu sentia
Era saudade de você.

Poema “Era Saudade de Você” extraído do livro “Um Pouco de Mim” – pg. 22. Veja detalhes do livro abaixo.

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Meire Parce - Reprodução Proibida

Meire Parce


LIVROS À VENDA
                        



Livro: "Um Pouco de Mim"
Autora:  Meire Parce
Páginas: 120
ISBN: 978-85-98607-90-0
Preço: R$ 20,00 
Vendas direto com a autora, via email: 
glaucienegap@hotmail.com

  


  SINOPSE:
“Em Um Pouco de Mim sentimentos da autora ganham vida através da poesia e são sentidos pelo leitor. Um livro genuinamente escrito por palavras ditadas pelo coração, pois estas transcendem a forma escrita, transformando-se em pura emoção. Não há como não se emocionar ao ler este livro. É poesia em simplicidade e emoção.”

PASSEIO - NILZA MURAKAWA


Nutro-me desta chuva mansa e morna
Quase terna, sem pressa, aos poucos
Agarro-me em seu tronco
Feito orquídea tenra

Escondo-me em seus quentes montes
Com cuidado e tamanho zelo
Que arrepio em meus pelos
São pequenos espinhos contentes

Viajo pelo seu céu
Fazendo curvas em sua boca
Com paradas e de palavras poucas
Aconchego-me neste mel

Passeio pelo seu dorso
Com delicadeza de flor
Redesenho seus músculos
E me retorço...

Colho seu sorriso
Danço em suas asas cálidas
Como borboleta despindo-se da crisálida
Em festa, no sol, beijando pétalas

Pouso em seus olhos
Que ainda me dizem coisas
Perfumo sua pele
Com meu suor de rosas

Nesta conversa silenciosa
Repouso, toda dengosa
Eu, flor desarrumada
Em seu licor, mergulhada...

Poema “Passeio” foi extraído do livro “Pássaros na Garganta” – pg. 99 - Veja detalhes do livro abaixo.

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Nilza Murakawa - Reprodução Proibida

Nilza Murakawa
Acesse a página da poeta:


LIVROS À VENDA
                        

Livro: "Pássaros na Garganta"
Autora:  Nilza Murakawa
Páginas: 144
Editora: Somar
ISBN: 978-85-62141-51-5
Preço: R$ 37,00 (frete incluso) 
Vendas direto com a autora, via email:murakawanilza@outlook.com
Ou pela página da autora no Facebook:
FACEBOOK



SINOPSE
Nilza Murakawa, artista, fotógrafa e poetisa de São Paulo, está lançando seu primeiro livro solo:  “PÁSSAROS NA GARGANTA” – A obra contém 144 páginas com 115 poemas bem selecionados e muita arte feita também pela própria autora, ilustrando-os.

À DISTÂNCIA – LUCIANO SPAGNOL

SEMANA - 22/06/2015
De longe vela meu amor
Engavetado no peito a soluçar
Que zela avidez e esplendor
Na tua nova via para triunfar

Se a tua ternura me fascinou
A solidão escreve tua ausência
Longe ou perto assim eu vou
Na recordação de tua existência

Nesta aquarela de sentimentos
Pincela admiração e importância
Num adeus que chora tormentos
Deste afeto que é só consonância

Aqui há quem de ti terá escassez
Na distância desenhada pelo fado
Se sentires lamentos em total nudez
De amor, és minha saudade ao teu lado

(Suspirando lágrimas de mais um talvez...)

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Luciano Spagnol - Reprodução Proibida

Luciano Spagnol
Acesse a página da poeta:

NAS ASAS DE UM POEMA - MARGARETH D. S. LEITE

Você, versos
Do meu amor.
Poema da minha paixão.
Entre o desejo
Eu e o gracejo
Saudade que fere ferindo.
Ameniza fúria da brisa
Só não passa essa feridade.
Saudade...
Minha dor preferida.

O vento que beija
Em lamento
Retribui em
Pensamento...
Toco em você nas rimas
Da minha poesia, isso
É mais que ironia.
Afago você em meu corpo,
Quando poetizo
Em agonia...

Essa flor sabor de mel
Néctar de suavidade
Sorrisos de felicidade
Na beleza de um corcel
Sob as rédeas de quem domina,
No ar, cheiro de adrenalina...

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Margareth D. S. Leite - Reprodução Proibida

Margareth D. S. Leite
Acesse a página da poetisa:

CARTAS – MARILU FAGUNDES

Restam aqui algumas cartas,
Contendo todos os meus medos
Enquanto o tempo passa,
Elas guardam nossos segredos.

Lembro dos sussurros,
Dos beijos quentes,
Lembro do sol na tardinha,
Iluminando olhares ardentes.

Lembro dos corações abraçados
Batendo no mesmo compasso
Força de braços prendia-me num laço.

Hoje, nesta noite de lua,
Enquanto posso sentir,
Vejo-me lá, ainda tua...

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Marilu Fagundes - Reprodução Proibida

Marilu Fagundes
Acesse a página da poetisa:

ESSE AMOR - FLOR MORENNA

SEMANA - 15/06/2015 
Esse amor insano
Que percorre meu corpo...
Sussurra teu nome
Dorme na minha cama
Desperta minha alegria
Rima nas minhas poesias...
Ah...!
Esse amor que faz poemas
Das nossas palavras
Que me faz ler Vinicius,
Cantar Jobim...
Esse amor,
Não sai de mim...!

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Flor Morenna - Reprodução Proibida

Flor Morena
Acesse a página da poetisa:

QUANDO ME TOCAS - JULIA VIANA

Quando me tocas...
Minha pele se arrepia!
Lábios que se encontram...
Que enlouquecem...
Tem o fogo do amor...
Que nos afagam!
Teus lábios tremem quando me beijam...
E sinto o sabor dos teus beijos molhados

Quando me tocas...
Nesse mágico instante!
Nossos corpos amam e se atraem...
Transformando o tempo...
Em momentos de prazer...
Nossas unhas riscam a pele ardente
Em chamas em um ritual de amor...

Quando me tocas...
Sentimos o calor dos nossos corpos...
Em completa sintonia...
Chegando ao êxtase delirante do amor
Os murmúrios incendeiam nossa alma!
Com meu desejo de mulher amada
Sentindo o prazer se exaurindo em suor...

Quanto me tocas...
Entrelaçada em teus braços
Dos teus lábios ouvirei...
Os secretos segredos de amor...
Saciando minh’alma que se apossa de ti
Entregando-me às tuas carícias...
O nosso amor não tem explicação...
Apenas é sentido na entrega de corpo e alma

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Júlia Viana - Reprodução Proibida

Júlia Viana
Acesse a página da poetisa:

DESEJOS - VILMA PIVA

 
Capturar a lua com a rede dos desejos
trazê-la para perto da nossa rua de cores
trançar seus fios de prata em mil beijos
e ver nossa noite iluminada de amores.

Deixar-se guiar pelo condão dos sonhos,
alcançar o infinito de nossas moradas
para além das estrelas onde suponho
flores na janela, por ti tão perfumadas.

Envolver-nos de amor exuberado
em fragrâncias de rosas e jasmins
e deixar-se lânguidos, abraçados,

 sob a lua branca ao som de bandolins
os nossos corações apaixonados,
eternizados em nossos folhetins.

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Vilma Piva - Reprodução Proibida

Vilma Piva
Acesse a página da poetisa:

A COR DO AMOR - ANTONIO SERGIO NÉSPOLI

SEMANA - 08/06/2015

Dor na vida de um poeta não tem cura
Cura nem tem a eterna solidão
Solidão sempre foi sua loucura
Loucura é o que lhe acalma o coração

Coração que é feito de ternura
Ternura que ilumina a escuridão
Escuridão que ele jamais procura
Procura sempre uma nova paixão

Paixão lhe dá na vida mais prazer
Prazer lhe dá na vida nova cor
Cor preferida ele não vai dizer

Dizer não vai a cor dum novo amor
Amor secreto que terá até morrer
Morrer assim é ir sem sentir dor

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Antonio Sergio Néspoli - Reprodução Proibida

Antonio Sergio Néspoli
Acesse a página do poeta:

AMOR VERDADEIRO - CLAUDIO POETA

O verdadeiro Amor
Tem que ser avassalador.
Não pode ter amarras,
Nem desnecessárias travas.
Tem que ser acolhedor,
Visceralmente, confortador.
Tem que ser bonito,
Para fazer florir o caminho.
Tem que ser forte,
Para sempre apontar para o Norte.
Tem que arrepiar a pele.
Apesar de profundo, tem que ser leve.
Tem que arrebatar
E, espontaneamente, fazer cantar.
Tem que ser escrito em versos,
Por ser uma manifestação sagrada do Universo.
Tem que tocar.
Tem que incontestavelmente emocionar.
Pode fazer perder o rumo
Para os amantes encontrarem um novo mundo.
Só deles.
Inteirinho para eles.
Tem que promover uma fusão,
A partir da união.
Tem que despertar altos índices de cumplicidade.
O verdadeiro Amor é um acalanto para a sensibilidade.
Arrebata.
Desacata!
Tira tudo do lugar
Dá falta de ar.
Amar não só é essencial,
Como sensacional.

Copyright © 2015 - Todos Direitos Reservados a Claudio Poeta - Reprodução Proibida

Claudio Poeta
Acesse a página do poeta: